Sobre Pantano Grande

Dados e Estatísticas de Pantano Grande

Pantano Grande – Estado do Rio Grande do Sul – Brasil
Localização: Região Central
Gentílico: Pantanens
Data de Criação: 15 de dezembro de 1987 (Lei n.º 8.488)
Mesorregião: Centro Oriental Rio-Grandense
Microrregião: Cachoeira do Sul
Área territorial: 847,613Km²

Divisão Política do Município

11 Bairros Compõe Pantano Grande, sendo eles:
Centro
Bairro Vila Nova
Bairro Valderi
Loteamento Unical
Bairro Farol
Bairro Unical
Bairro Riograndino
Bairro Marques
Bairro Virgínia
Bairro Moraes Krause
Bairro Frantz
03 Distritos: Monte Castelo, Várzea e Aroeiras.
8 Comunidades do Interior: Divisa, Passo do Canto, Pedregais, Capão da Fonte, Venda Velha, Dois Cerros, Tabatingai e Lagoão.

Agência Bancárias

Banco do Brasil
Banrisul – Banco do Estado do Rio Grande do Sul

Unidades de Saúde

Posto de Saúde Vila Nova – ESF
Posto de Saúde Aroeiras
Posto de Saúde Vila Virgínia
Posto de Saúde Unical
Plantão – Clínica Climed
Posto de Saúde Capivarita
Posto de Saúde Monte Castelo
Posto de Saúde Pantano Grande – Farmácia Municipal

Segurança

Polícia Civil: 01 Delegacia de Polícia
Brigada Militar: BMP Batalhão da Polícia Militar

Qualidade de Vida

Praças: 3
Ginásios: 5
Estádio Esportivo: 01

Dados Geográficos

População (em 2010): 9.895
População (em 2009): 9.794
População (em 2008): 9.913
População Urbana (em 2010): 8.314
População Rural(em 2010): 1.581
Expectativa de Vida (Pantano Grande): 68,61 anos
Expectativa de Vida (Estado): 75,5 anos (Homens: 71,9 anos / Mulheres: 79,3 anos)
Eleitores (em 2010): 8.495
Homens (em 2010): 4.186
Mulheres (em 2010): 4.299
Alfabetização (em 2007): 99,05%
Índice de Desenvolvimento Municipal (em 2007):0,74
Posição Estadual: 392
N° de Residências Urbanas: 3.943
Altitude em relação ao nível do mar: 100 m
Latitude: – 30,191
Longitude: 52,374
Clima: subtropical úmido
Fuso horário: UTC-3
Aspectos do Solo (1999): latossolo vermelho distrófilo típico
Malha Viária Urbana: Asfalto, Paralelepípedo
Rodovias Estaduais: RSC 471, BR 290

Clima

O clima é temperado com média em 17 e 23 graus. É comum a ocorrência de geadas nos meses de inverno. A temperatura mínima oscila entre 5 graus e máxima de 34 graus.

Hidrografia

Denominação: Rio Capivari.
Localização: BR 290 – Km 207 e Localidades interioranas do município.
Distância da sede: 08 Km – Balneário Capivari e 18 Km – Balneário Ana Benta.
Vias de acesso: Rodovias vicinais.
Tipo de leito e tratamento: Rodovia ensaibrada.
Descrição: O Rio é considerado de pequeno porte, com águas não navegáveis.

A origem do nome “Pantano Grande”:

A origem do nome do município se deve ao fato de que o sub solo da região é formado por uma malha de tabatinga (barro lodoso) que nas primitivas estradas tornavam-se pantanosas (com atoleiros), dificultando o movimento dos mais variados veículos, ficando por isso conhecido por Pantano Grande.
O termo “pântano” (proparoxítona), na corruptela, passou a ser “pantano” (paroxítona).

Resumo Histórico:

Quando da posse da Fazenda do Espinilho, nas proximidades da hoje cidade de Pantano Grande em 1917 pelo Sr. José Saldanha Ferreira, já havia alguns moradores, porém diz a sabedoria popular que em 1934, instalou-se a 2ª casa comercial de secos e molhados de propriedade do Sr. Pedro Nunes de Oliveira, onde instalou-se o 1º telefone, a 1ª rodoviária e oferecia pousada aos viajantes e tropeiros que por aqui passavam.

Em 1936 foram criados os primeiros grandes açudes, iniciando-se extensas lavouras de arroz e consequentemente construção de Engenhos de arroz, considerada a primeira grande economia para a região. Esta atividade crescia e era fonte geradora de muitos empregos pois era praticamente tudo feito de forma manual. Como atividade arrozeira durava aproximadamente de 04 a 05 meses, ocasião em que era dispensado novamente o pessoal de estiva, de corte e da parte industrial, sendo assim havia necessidade de explorar outros ramos, como corretivo de calcário e caulim abundantes no subsolo de Pantano Grande. Apartir de 1954, o comércio em si, começou a expandir-se, como postos de combustíveis e lubrificantes, oficinas mecânicas e rede hoteleira.

Na década de 50, com a construção da BR 290 aconteceu o “ milagre pantanense” onde tudo prosperava: foram criadas escolas, igrejas, água encanada, embora precariamente.

Com o traçado e a construção das Rodovias: BR 290 (Osorio/Uruguaiana) e da BR 471 (Santa Cruz do Sul/Rio Grande) , como já foi dito, o local passou a crescer de forma intensa e sendo responsável por mais de 30% de arrecadação do município-mãe devido as jazidas de calcário, caulim, xisto betuminoso, barro refratário, abundantes no subsolo, bem como as atividades agropecuárias suportes de desenvolvimento na região.

Com o início da obra da construção das Rodovias, começou a atrair pessoas para esta localidade. O fazendeiro José Saldanha Ferreira, senhor de grandes propriedades, contratou um Engenheiro para organizar um loteamento de uma parte de suas terras e vender terrenos a preço acessível e com ótimas condições de pagamento. O referido loteamento forma hoje a cidade de Pantano Grande.

Pantano Grande pertenceu a Rio Pardo, onde primeiramente foi conhecida como Vila pela Lei n.º 21 de 30.11.66, porém em 20 de abril de 1967 a Lei n.º 22 revoga a Lei de n.º 21 e Pantano Grande, passou a ser localidade do 5º distrito, denominado Distrito do Capivarita.

Alguns anos mais tarde, com a retaliação do 5º Distrito pela Lei n.º 05 de 15.05.84, Pantano Grande passou a ser o 10º distrito de Rio Pardo. Os pantanenses desgostosos com esta atitude dos mandatários do Município-mãe e obviamente sentindo-se prejudicados, iniciaram o Movimento Emancipacionista, cujo plebiscito aconteceu dia 20.09.87, onde o SIM foi vitorioso com uma esmagadora vantagem.